HU-UEPG abre inscrições para residência médica

De 14 de janeiro a 02 de fevereiro de 2017, estarão abertas as inscrições para o processo seletivo ao preenchimento das vagas da Residência Médica em Ortopedia e Traumatologia e Residência Médica em Medicina Intensiva do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais (HU-UEPG). O processo seletivo oferece uma vaga Residência Médica em Ortopedia e Traumatologia. Para  a Residência em Medicina Intesiva são duas vagas, exigindo-se dos candidatos a residência médica, devidamente reconhecida, em Clínica Médica ou Cirurgia Geral ou Anestesiologia.

As inscrições serão realizadas exclusivamente pela Internet, com o preenchimento online no endereço http://cps.uepg.br/externos. O candidato deverá imprimir, em folha de papel A4, o boleto bancário destinado ao pagamento da taxa de inscrição (R$ 300,00), com vencimento em 03 de fevereiro de 2017, pagamento em toda a rede bancária autorizada. Decorridos dois dias úteis, após o pagamento da taxa de inscrição, o candidato deverá imprimir a ficha de inscrição, em papel A4, acessando o endereço http://cps.uepg.br/externos.

De acordo com orientação da coordenação do Programa de Residência Médica (COREME), após a impressão da ficha de inscrição, o candidato deverá colar nos locais indicados uma foto 3 x 4, recente, para identificação pelos fiscais de sala; fotocópia de um documento de identificação, a exemplo de cédula de identidade, carteira de trabalho, ou carteira nacional de habilitação. A ficha de inscrição, devidamente montada e assinada, deverá ser apresentada para acesso no local da realização da prova objetiva, em 05 de março de 2017.

Prova e Matrícula

O edital com a indicação do local da prova objetiva estará disponível em http://cps.uepg.br/externos, às 17h, em 20 de fevereiro de 2017. Para a realização da prova objetiva, o candidato deve estar munido de caneta esferográfica, de material transparente, com tinta azul-escura ou preta, escrita grossa. Os candidatos deverão estar atentos ao horário (portões de acesso aos locais da prova): 13h (abertos) 13h30 (fechados). A prova inicia às 14h e terá três horas/duração. O edital com a classificação final do processo seletivo estará disponível em http://cps.uepg.br/externos, às 17h30, em 08 de março de 2017.

A matrícula dos aprovados será em 14 de março de 2017, das 8h às 12h e das 13h às 17h, nas dependências da COREME/HU/UEPG (Alameda Nabuco de Araújo, 601, Bairro Uvaranas – Ponta Grossa – Paraná). O Programa de Residência Médica em Medicina Intensiva e Residência Médica em Ortopedia e Traumatologia (HU-UEPG), caracteriza-se por formação de pós-graduação – especialização lato sensu, modalidade treinamento em serviço, com duração de dois e três anos, respectivamente, e carga semanal de 60 horas.

No endereço indicado acima e em (42) 3219-8865, os interessados podem obter outras informações sobre o processo seletivo do HU-UEPG, como a documentação exigida no ato da matrícula.

HU-UEPG terá novas residências médicas em 2017

O Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais da Universidade Estadual de Ponta Grossa (HU-UEPG) terá novas residências médicas em 2017. Em reunião plenária realizada no último dia 15 de dezembro, a Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) autorizou a oferta de duas vagas/ano para Residência em Medicina Intensiva (duração de dois anos; e uma vaga/ano para Residência em Ortopedia e Traumatologia (duração de três anos). As inscrições para o concurso abrem em janeiro com provas em março e início de atividades em seguida.

Na Residência de Medicina Intensiva, os médicos desenvolvem seus estudos voltados para a especialização em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). No HU-UEPG, os residentes vão utilizar a infraestrutura composta por 20 leitos, equipe com no mínimo dois médicos em plantão 24 horas, visita diária de especialista em UTI e de profissionais que dão apoio em outras áreas como cirurgia geral, cirurgia torácica, neurologia e neurocirurgia, cardiologia, nefrologia, endoscopia, radiologia.

“Enfim como as demais residências, os residentes em Medicina Intensiva terão uma grande equipe à disposição para o melhor atendimento aos pacientes”, diz o diretor geral do HU, Everson Augusto Krum. “Vale ressaltar que conforme a legislação, toda UTI deve possuir um médico com título de especialista em UTI como responsável técnico”, diz. Ressalta ainda que a UTI recebeu neste ano recursos do Governo do Estado, via Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), para reforma a ampliação do número de leitos e foi reinaugurada com estrutura mais moderna, com espaços individualizados.

Everson Krum afirma que a Residência em Ortopedia e Traumatologia também é uma grande conquista para o hospital e consolida o HU como referência no atendimento em Ortopedia. Em 2016 o hospital fez 880 cirurgias eletivas e urgência/emergência. Entre esses procedimentos, está a cirurgia de joelho, pelo moderno sistema de vídeo-endoscopia, na qual o paciente tem alta um dia após s operação, por meio do programa de Mutirão de Cirurgias Eletivas da Sesa, e também a cirurgia de implante de prótese de quadril. “O HU é o único hospital na região a realizar estas cirurgias pelo SUS”.

Além de especialistas em cirurgias de joelho e quadril, a equipe é composta por profissionais especialistas em mão, pé, ombro e coluna. Possui também apoio indispensável do Serviço de Imagem com intensificador transoperatório, raios X fixo e portáteis, dois equipamentos de Tomografia e Ressonância Magnética, com os resultados dos exames podendo ser acessados por via remota, de qualquer computador.

Avanços acadêmicos

A Diretora Acadêmica do HU, professora Tatiana Menezes Cordeiro, que preside a Comissão Estadual de Residência Médica do Paraná (Cermepar), comemora avanço obtido na área das residências. “Estas duas novas especialidades somam-se aos programas médicos de Clínica Médica, Cirurgia Geral, Medicina de Família, Neurologia, Radiologia e Cirurgia Vascular, consolidando o HU como centro formador tanto em graduação como em pós-graduação.

Em 2017, também serão ofertadas as residências multiprofissionais em Saúde do Idoso, Intensivismo, Neonatologia e Reabilitação e as uniprofissionais em Cirurgia Bucomaxilofacial (para dentistas) e Enfermagem Obstétrica (para enfermeiros).

Enfermeiras do HU-UEPG fazem estágio no Samu

Quatro enfermeiras do programa de residência multiprofissional em intensivismo do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais (HU-UEPG) vão realizar estágio de um mês em atendimento pré-hospitalar, no Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e Siate (Sistema Integrado de Atendimento ao Trauma e Emergência) de Ponta Grossa. Trata-se de campo de estágio aberto a partir de amplo convênio celebrado entre a UEPG e a Prefeitura/Secretaria Municipal de Saúde de Ponta Grossa. Nesta quinta-feira (15 de dezembro), as enfermeiras residentes em intensivismo começaram o estágio no Samu, quando receberam os uniformes de trabalho.

O diretor do HU-UEPG, Everson Augusto Krum, destaca o estágio como uma inovação no programa que, agora, vai abrir espaço de aprendizagem para as enfermeiras Jessica Neves Pereira, Andressa Paola Ferreira, Raissa Luana Iukiv e Valeria Cristina França. No estágio no Samu e Siate, elas vão fazer atendimentos em urgência e emergências clínicas e traumas, segundo Krum. O diretor explica que as enfermeiras vão atuar em situações críticas, auxiliando no primeiro atendimento a casos como infarto, AVC, e acidentes de carro e moto.

Situações Diferentes

“As enfermeiras vão aprender como agir nesses casos em situações diferentes dos ambientes fechados de UTI, diz Everson Krum, acrescentando que “vão ter que superar dificuldades de acesso a veias e artérias, pacientes agitados, pacientes como hemorragia e sangue que dificultam a visualização e as manobras técnicas”. O estágio ocorre após as enfermeiras registrarem presença, desde março de 2015, pelas UTIs Adulto, Neonatal, Pediátrica, Pronto Atendimento e pelo Setor de Imagem do HU; e pela UTI coronariana do Hospital Bom Jesus.

O diretor do HU-UEPG ressalta que as residentes vão entrar na escala regular do Serviço Pré-Hospitalar durante um mês, intercalando plantões diurnos e noturnos em dias úteis e nos finais de semana. A oportunidade do estágio correu com a fundamental participação de Delmar Pimentel Filho e de Janaina Issakowicz, diretor e chefe de enfermagem do Samu, respectivamente; e de Everson Krum e Luciane Andriani Cabral, coordenadora da Residência em Intensivismo do HU-UEPG.

Residências e Parcerias

Everson Krum observa que, em 2016, estão em andamento residências multiprofissionais em intensivismo e saúde do idoso; e em cirurgia bucomaxilofacial e trauamatologia. Para 2017, o diretor registra que já foram selecionados profissionais para as novas residências multiprofissionais em neonatologia; reabilitação; e em enfermagem obstétrica. A residência é uma modalidade de especialização, em que o profissional tem 60 horas de atividades semanais. Destas 12 horas voltadas ao ensino teórico e 48 horas de atividades práticas em serviço.

Ainda sobre o significado do estágio aponta a parceria com a Secretaria Municipal de Saúde como significativa, permitindo sempre melhores trabalhos em benefício da população. Destacou os avanços conquistados na área da saúde a partir da formação de uma rede que tem como atenção os serviços prestados à população. Também enfatizou a presença importante da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná para a área e as atividades do HU. Ainda considera a participação das enfermeiras do HU no estágio como um momento especial para a formação com qualidade na área.

Vivência e Desafios

A secretária municipal de Saúde, Angela Conceição Oliveira Pompeu, assinala a participação das enfermeiras do HU-UEPG na vivência da realidade dos serviços do Samu como importante. Também pontua que é só vivenciando as situações de emergências do Samu para conhecer a realidade do atendimento das ocorrências e da responsabilidade dos profissionais da saúde. Ao dar as boas-vindas às enfermeiras no estágio, Angela Pompeu acentou: Como vocês virão outros estagiários. Não se assustem porque tudo faz parte dos desafios de cada atividade. O início pode ser difícil, mas não há nada que no trabalho diário não se vença”.

Delmar Pimentel Filho descreveu situações que definem a realidade do atendimento pré-hospitalar do Samu. O diretor do Samu acentuou que, nessa atividade, cada ocorrência exige o melhor da equipe de atendimento. “É sempre o encontro com uma situação diferente” disse. Para ele, o estágio se constitui em experiência de vida que resulta da vivência nos atendimentos em cada situação de ocorrências. Janaine Issakowicz destaca o estágio como uma oportunidade para as enfermeiras entenderem como funciona o Samu. Também posiciona que é no dia a dia dos atendimentos que as estagiárias vão somar conhecimentos.

Ganho para as Partes

Janaine observa que o encontro das enfermeiras com o Samu se dá em dois momentos: o primeiro de ambientação e o segundo de atuação prática. Para Janaine, a oportunidade traz ganhos para os dois lados: as estagiárias ganham conhecimentos; e o Samu contribuindo na formação de profissionais capacitados na área do estágio, e melhorando sempre o atendimento na urgência e emergência. Luciane Andriani Cabral define a oportunidade como única e inovadora. Salienta o valor do estágio que proporciona para as enfermeiras sair do atendimento intra (no HU) para o pré-hospitalar (no Samu), permitindo o somatório de conhecimentos na residência multiprofissional em intensivismo.

Sobre o estágio, a enfermeira Valéria Cristina França faz a leitura do encontro com situações diferentes daquelas vividas no HU. Reconhece o desafio de um novo aprendizado, mas coloca a expectativa como positiva. “Eu assimilei da reunião que cada ocorrência é única em suas oportunidades de aprendizagem no Samu”. A estagiária Jessica Neves Pereira também destaca a importância de poder estar num tempo de atividades diferente. Isso porque considera que a presença no HU surge como familiar no atendimento aos pacientes. “Eu sei que aqui cada vez que a sirene tocar vou sentir um frio na barriga. Mas vou enfrentar cada situação com responsabilidade e reconhecimento em cada conhecimento permitido no estágio”.